terça-feira, 26 de Setembro de 2017  14:05
PESQUISAR 
LÍNGUA  

Portal D'Aveiro

Clínica Moinheiro Publicidade Inovasis

Inovanet

INQUÉRITO

Aproximam-se as eleições autárquicas de 2017, vai exercer o seu direito ao voto no dia 1 de Outubro?

sim
não
sem opinião
» ver todos os inquéritos  

RECEITA SUGESTÃO

Caril de Gambas

Caril de Gambas

Descasque as gambas, deixando as caudas intactas. Retire-lhes o veio escuro.

Derreta a manteiga em lume ...
» ver mais receitas


NOTÍCIAS

imprimir resumo
28-06-2007

Aveiro: Serviços Municipalizados anunciam a «fase da qualidade total»


Depois do quase pleno das ligações da distribuição de água e do saneamento no concelho de Aveiro, existe um «novo modelo de apreciação de projectos e obras de redes prediais em Aveiro» e a sua aprovação passará a depender da emissão de um certificado


Os Serviços Municipalizados de Aveiro pretendem passar a emitir um certificado, a partir do próximo mês de Julho, para validar os projectos e obras prediais, sendo que, segundo o administrador-delegado, Alberto Roque, esta será a primeira fase que permitirá reconhecer a qualidade de um projecto, em particular no que respeita às redes de água e águas residuais. Alberto Roque anunciou a entrada dos Serviços Municipalizados de Aveiro (SMA) «na fase da qualidade total das redes municipal e prediais», depois de atingidos alguns índices, como a cobertura total na distribuição de água e entre os 97,12 e 97,13 por cento da rede de saneamento.
Este novo passo dos SMA foi anunciado ontem na assinatura de um protocolo com a Associação Nacional para a Qualidade das Instalações Prediais, passando Aveiro a ser a primeira autarquia do país a aderir àquela organização e aos serviços nesta área. A sessão constituiu uma abordagem sobre o «novo modelo de apreciação de projectos e obras de redes prediais em Aveiro».
O vereador Carlos Santos, que participou na sessão técnica e de assinatura do protocolo, disse que se trata de ter mais «qualidade nas construções e na edificação». Sendo a autarquia aveirense pioneira, o vereador disse que o protocolo «pode ser extensível a outras câmaras» que também poderão dar «mais um passo para a melhoria dos indicadores do desempenho ambiental».
Silva Afonso, presidente da associação, justificou a necessidade da intervenção daquela organização. Disse que as redes de distribuição de águas e águas residuais das habitações «é dos sectores mais desregulados» mas, em simultâneo, acrescenta que «está na origem de 95 por cento dos problemas», como sejam os ruídos, as infiltrações, fugas, humidade, rupturas, vibrações e maus cheiros.
Disse ainda que o sistema «não tem uma legislação capaz», por isso a especialização desta associação intervindo na apreciação dos projectos prediais, «indicando às Câmaras a reprovação, a aprovação ou aconselhando soluções melhores». Segundo o plano de relações a estabelecer, a associação e a Câmara reunirão semanalmente «para apreciar os projectos que dão entrada».
Numa apreciação do que já é conhecido, Silva Afonso disse que «a maioria dos projectos são extremamente mal elaborados». A Câmara quer inverter a situação aderindo àquela associação que irá fazer uma verificação dos projectos, admitindo que «duas das componentes que actualmente mais influenciam a qualidade da construção das edificações e respectivas habitabilidades ou funcionamentos são as redes prediais de distribuição de água e drenagem de águas residuais».

J.P.

ACESSO

Utilizador:
Password:
Ligar automaticamente:
» Registar
» Recuperar password
» Webmail
» Definir como página inicial

Publicidade

TEMPO EM AVEIRO


Inovanet
INOVAgest ®