sexta-feira, 16 de Novembro de 2018  10:44
PESQUISAR 
LÍNGUA  

Portal D'Aveiro

Inovasis Prescrição eletrónica (PEM), Meios Complementares de Diagnóstico e Terapêutica (MCDT), Gestão de Clínicas Inovasis

Inovanet


RECEITA SUGESTÃO

Sapateira Recheada II

Sapateira Recheada II

Verta o vinagre em fio, na boca da sapateira e coza-a em água temperada com sal, a cebola e o louro por 15 a 20 ...
» ver mais receitas


NOTÍCIAS

imprimir resumo
13-12-2007

Estarreja: Novos apeadeiros de Salreu e Canelas ao dispor da população


Os apeadeiros de Salreu e Canelas estão prontos para servir os utentes. A partir de agora ambas as paragens estão equipadas com infra-estruturas e acessibilidades modernas que custaram à REFER dois milhões de euros


«Deus me livre. Se os apeadeiros tivessem encerrado, muita gente ficaria sem meio de transporte», assegura Maria Sousa, de 82 anos, residente em Salreu e munícipe atenta ao corre-corre dos apeadeiros de Salreu e Canelas.
A Câmara Municipal de Estarreja e a REFER levaram ontem uma comitiva composta por órgãos de comunicação social, autarcas e munícipes interessados a fazer a viagem inaugural dos apeadeiros de Salreu e Canelas. Ambos os espaços foram alvo de obras que mudaram a imagem e as condições de mobilidade para os seus utentes. Salreu ganhou um novo apeadeiro, construído de raiz. A antiga estação deixou de funcionar, estando agora localizada a alguns metros para sul do esteiro de Salreu. Um terreno mais plano e com melhores condições de acesso foi a razão que levou a REFER a apostar nesta empreitada.
No que diz respeito ao apeadeiro de Canelas, a obra realizada visou remodelar o antigo local, qualificando-o com infra-estruturas modernas e recuperando a casa da estação para acolher actividades das colectividades locais.
Estes dois espaços estiveram para ser desactivados no ano de 2003, aquando do projecto de remodelação da Linha do Norte. A Câmara de Estarreja e a população mostraram-se contra este parecer. A decisão seguinte apontava para o encerramento dos apeadeiros e a construção de uma estação a meio das duas localidades, mas a autarquia e comunidade estarrejense também não aceitaram esta alternativa. No final, a REFER manteve os dois apeadeiros e investiu dois milhões de euros nesta empreitada.
«Agora as pessoas já não podem dizer que não viajam de comboio por falta de condições», sublinhou José Eduardo de Matos, presidente da Câmara de Estarreja, durante a viagem inaugural.
Para Maria Sousa, que desde muito nova conhece de perto o movimento e as vivências de ambos os apeadeiros, esta obra vem beneficiar muitas pessoas. «Há muita gente a andar de comboio», garante. E quando questionada sobre a necessidade dos dois apeadeiros, Maria Sousa explica sem dificuldade que Salreu serve a sua população e as comunidades vizinhas de Soutelo, Crestelo e Albergaria-a-Nova, pertencentes ao concelho de Albergaria-a-Velha. E, no caso de Canelas, a estação favorece as gentes locais, e as de Fermelã e do Roxico. «Eu já precisei muito deste comboio, quando precisei ao Porto ou a Aveiro ao médico. Não tinha outro meio de transporte», afirma.
Maria Sousa anda se lembra da inauguração do apeadeiro de Canelas. Sem precisar ao certo o ano, Maria Sousa conta que na década de 40 do século passado se organizou uma grande festa junto à casa da estação de Canelas. Vieram grupos de danças e cantares de várias localidades para animar a população. Canelas era o único apeadeiro com estação. «Salreu era apenas lugar de paragem. Para tirar bilhete era em Canelas», explica.
A partir de agora, ambos os apeadeiros são apenas lugar de paragem do comboio da Linha do Norte entre Aveiro e Porto.

Carmen Martins


ACESSO

» Webmail
» Definir como página inicial

Publicidade

TEMPO EM AVEIRO


Inovanet
INOVAgest ®